Sobre Não-Ditos

Você já teve a sensação de que algo não declarado está incomodando e interferindo na qualidade do relacionamento com alguém que você ama?


Ou, talvez, tenha percebido que algo está diferente com aquele colega de trabalho e vocês não tem mais se falado ou saído pra almoçar juntos, como costumavam fazer. Algo assim já se passou com você?


Seja na vida pessoal, com aquelas pessoas mais próximas, seja no ambiente profissional, com pessoas que trabalham conosco há tempos e nos apoiam a alcançar resultados, às vezes, nos deparamos com uma interferência significativa na qualidade do nosso relacionamento. Nos aparece uma certa confusão por não sabermos o que está acontecendo e, de repente, percebemos que a conexão está ficando cada vez mais difícil e instável, perdemos a fluidez, a leveza e a abertura de antes. E o que é pior: esta impressão de que algo não está bem nos conduz a desconexão: Um muro se instala entre nós!


Há vários motivos que podem estar contribuindo para que isto aconteça e, por vezes, não há abertura ou confiança suficiente para trazê-los a tona... Como dizia Marshall Rosenberg:


“por trás de toda e qualquer ação, há uma necessidade que está buscando ser satisfeita”.

Não raro, não se fala sobre os incômodos exatamente por medo de que isso impacte a convivência, gere conflitos ou leve a ruptura daquele relacionamento. De forma consciente ou inconsciente, busca-se preservar as necessidades de harmonia, paz e tranquilidade.

O problema é que, ao não falar sobre o que está acontecendo, os sentimentos ligados ao incômodo (tristeza, irritação, raiva ou outro) vão se acumulando e gerando um alto ruído na comunicação.


Os não-ditos acabam por minar a conexão.